terça-feira, 29 de maio de 2012

Esclarecimento


Como devem ter reparado tenho andado “sabático” por estas bandas.
(...)

Ter uma paixão hortícola; ser aprendiz da dita-cuja e tentar explicar os sucessos, mais os fracassos e/ou as dicas e segredos desvendados…à “minha freguesia”, é deveras desgastante…
Faço isto por gosto e não por vaidade ou soberba!

Já o afirmei num anterior artigo, e volto aqui a repetir: eu tenho o 6ºano de escolaridade; não possuo qualquer diploma académico (nem por canudos…nem por correspondência…)!
Não sou nenhum Chico-Esperto – estes dão quase todos em políticos, banqueiros e juízes…-, nem tenho a arte da Sabedoria Saloia***!


Sou, como o nome do blog indica, um apaixonado pela horticultura – simplesmente!
Não preciso de canudos, nem etiquetas, para gostar do que faço. Os que acham o contrário então pertencem a uma das duas “profissões”, que infelizmente, este país mais possui (Chico Esperto e Sabedoria Saloia).
Não tenho nada contra quem possui o “canudo”. Se o tem é porque estudou para tal – excepto aqueles que o tiraram ao domingo…e por correspondência…). Outros há que por possuírem um papel carimbado… já julgam que tem o rei na barriga, e com permissão de “espezinhar” quem não o tem, como se já fossem os únicos donos da verdade, da razão e da palavra.
O meu diploma é conquistado aqui na horta com a prática diária; e a teoria vou buscá-la a outros blogues – seja do Manuel ou da Maria; o que possui o canudo debaixo dos braços ou o que conquistou o diploma nas dores das costas e calos das mãos.

Volto a repetir: este blog foi construído com o objectivo de partilhar experiências e conhecimentos (por poucos que sejam – grão a grão…).
Não tenho obrigação de ser mestrado no que faço; mas o que faço coloco paixão, vontade, esperança e verdade.
Poderá haver relatos em artigos onde não relatei com exactidão os factos ou normas. Acredito que sim! Mas também acredito ser derivado a uma má tradução minha; a uma compreensão não totalmente correcta (faço todos os possíveis para ser o mais exacto possível), ou o cansaço????
O visitante, se vier por bem e com espírito de partilha e solidariedade, ao encontrar uma gralha ou inverdade, relata o erro ou deixa um link de referência sobre “a sua verdade”.
Eu não ando aqui apregoar a minha verdade, mas sim a verdade do que leio onde aprendi. Modéstia à parte, este será um dos blogues com mais links de referência – por isso não canto louros alheios! E mais links não deixo para não “pesar” em demasia o artigo. Por vezes chego a ter dezenas de links gravados nos Marcadores, o que me faz ter uma net lenta, e quando isso acontece, chateio-me… e apago aquilo tudo a eito…
Disponibilizei muito tempo e saúde aqui neste espaço, e repito, sem obrigação de o fazer, e julgo não andar longe da verdade, ao dizer que uma boa parte do que aqui relatei (artigos/post do blog), era de total desconhecimento do visitante, como o era para mim!!!

António


P.S. - Peço desculpa por não ter respondido aos últimos comentários (Marisa, João Gomes e José Lopes)! 
Este artigo/comentário actual nada tem haver com vocês. 

3 comentários:

Joao Amaral disse...

Amigo, apesar de perceber que nada tem a ver comigo, relatas com muita verdade o que sinto e curiosamente, acho que nunca te contei, mas acho que foste a pessoa que me meteu este bichinhos dos tomateiros! Bem hajas por isso!
PS: E secretamente, ainda antes de falarmos, a mais me ensinar e a levar à pesquisa de soluções!

Rui Esteves disse...

Viva António,

Como disse o amigo João Amaral só te tenho a agradecer pelo bichinho dos tomates com sabor a Pêsego ;-) e por gostar do que é bom me levou a partilhar as suas sementes com quem tem uma paixão hortícola!
Da minha parte o meu obrigado!

Tubaral disse...

Hei António, grande descasca.... Opa se precisares de um canudo em Eucalipto maciço diz que eu empresto-te heheheh..
Um abraço e vive a vida, porque só estamos cá de passagem, não te aborreças com cenas supérfluas.