quarta-feira, 1 de maio de 2013

Tomate cereja - Black Cherry - sem capar

Em 2012 deixei - para experiência - um tomateiro sem capar um único ladrão ou ramo.
Este tomateiro não foi de transplante para a horta, mas sim nasceu onde se encontra, provavelmente fruto de algum tomate caído em final de temporada - pois eu nunca deixo tomates pelo chão/horta!
Posso garantir que pelo menos um vez sulfatei com calda bordalesa. Se sulfatei mais do que uma vez já não o posso garantir!
Na terceira imagem nota-se um ramo doente - talvez míldio?.. -, e que não foi o único pois houve mais alguns assim.
Por incrível que pareça a doença não desenvolveu e o tomateiro cresceu sempre com vigor e saúde.
Tomates maduros só comecei a colher 5 a 6 semanas mais tarde do que as outras espécies na horta, e que foram capados. No entanto, neste caso, aconteceu que o amadurecimento dos tomateiros foi em maior quantidade - e não me estou a referir pelo facto desta espécie ser "tomate cereja".
Por falar em "tomate cereja", lembro que estes são por norma mais vigorosos que todas as outras espécies, e por isso precisam de mais espaço no caso de não serem capados. Este ocupou mais de um metro quadrado de espaço, e abafou por completo os dois pés de melões que havia semeado ao lado- Old Time Tennessee.
Eu este ano tenciono passar o "processo" para os tomates Beefsteak (Hawaian Pineapple + Laranja Russo 117), onde tenciono deixar 2 pés sem capar "niente" - talvez possa haver mais pés/espécies sem capar.
Recomendo a experiência aos horticultores!

2 comentários:

Elisabete Delfini disse...

Seu blog é de babar.
Amo passear por aqui,
abraços

Joao Amaral disse...

Amigo, quando referes "maior amadurecimento", a que referes concretamente? E em termos de numero / tamanho dos tomates? Há diferenças entre o capado e nao capados?
Abc!