sexta-feira, 28 de junho de 2013

Hoje

Esta imagem foca - em primeiro plano - três tomateiros, mas o tomateiro da direita não interessa neste post.
O da esquerda e o do meio são os dois da espécie Laranja Russo 117, para além disso são tomateiros nascidos das sementes do mesmo tomate que colhi no ano passado - tomate grande e são.
Mas se repararem bem o tomateiro da esquerda possui as folhas como que arrepiadas (não são enroladas, pois dessas houve vários tomateiros aqui na horta com essa circunstância), e o da direita têm as folhas "normais" para a espécie.
O porquê desta patologia...é que não sou capaz de o dizer; em todo o caso, e este post é direccionado para o "artista", o tomateiro de centro é que se encontra doente (míldio), pois até prova em contrário...no da esquerda não encontro nada a não ser as tais folhas.
Esquisito é...confesso!
A imagem de cima foca o tal Laranja Russo 117 com as folhas "arrepiadas", que não cresceu muito em relação aos outros (para além destes dois já referidos, ainda tenho na horta mais 3 tomateiros da espécie), e também não foi generoso como os seus "irmãos" em termos de frutos como de flores.
O corte que se vê na imagem em cima deste texto, já o havia referido num anterior comentário, pois ao praticar esta "amputação" notei logo que algo estava muito mal....
A prova é a imagem em baixo, que "confessa" a olhos vistos ser portadora do míldio, e só hoje é que descobri esta mancha (estava virada para o chão).
O interior do caule completamente corroído pelo mal/doença.
Os frutos - que bem me enganaram - estão normais, sem sinais da doença.
Esta "pintura" que sobressai escandalosamente...nas imagens, e que saliento que só "pintei" estes dois pés de tomateiros (nos outros deitei a calda bordalesa normal), foi aplicada - salvo erro -, na terça-feira. Trata-se "apenas" de uma colher de chã de bicarbonato de sódio, misturada em 2 litros de água mais uma colher de sopa de cal. 
O Bicarbonato de sódio - pelo que lia até agora -, parece ser o melhor amigo do ambiente na luta contra as doenças. A cal serve apenas para colar o bicarbonato nas folhas/ramos, tal e qual como na calda bordalesa.
Uma coisa é certa, e apesar de não ter deixado mais dias "à experiência", pois prefiro prevenir...a verdade é que após esta sulfatadela não notei mais desenvolvimentos (para o negativo, é claro).
E agora fica ali uma fileira tomatina orfa...
Depois de arrancar todo o pé e as raízes, e ter deitado tudo num saco e atirado ao lixo, no fim atirei um pouco de cal virgem para a cavidade "morta" do tomateiro.
 
Para ver as imagens em maior dimensão, carregar com o rato em cima da imagem - e ao mesmo tempo - clicar no botão esquerdo do rato e na tecla Ctrl.
Isto fará abrir uma nova janela/página com a imagem na sua dimensão de "origem".

3 comentários:

João Gomes disse...

Viva António
Lamento estas notícias que o seu post me trouxe, é sempre triste vermos estes meninos ficarem doentes e termos de os abater, eu vejo isso como um acto de altruísmo, onde sacrificamos o nosso carinho pelo bem do resto da tomatada.
Já tive de arrancar 2 tomateiros, 1 coração de boi laranja e 1 framboesa vikante, tinham manchas castanhas no tronco, nem olhei para trás, tive té a sensação que os outros me agradeceram, eheheh.
Não sabia essa do bicarbonato, hei-de experimentar em breve.
ontem deparei-me com outra praga, lagartas, já arranquei um tomate, um russo laranja 117 todo furadinho mas consegui matar a danada.
A vida da horta é mesmo assim, com alegrias e dissabores, renovados todos os anos com a esperança de no ano seguinte ser melhor.
Abraço
João Gomes

Paixão da Horta disse...

Olá João,

É verdade que doí sempre um pouco ao vermos algo que ajudamos a criar assim a desaparecer...
Mas neste momento o que me está a custar "engolir" é o porquê????
Os tomateiros desta fileira estiveram sempre abrigados da chuva e orvalhos que ainda se faziam sentir em Abril e Maio. Também é verdade, e por causa do facto de estarem abrigados, só os havia sulfatado uma vez (tentei evitar ao máximo sulfata-los), e ao que parece...não foi boa ideia...
Também é verdade que o plástico pode ter protegido da chuva e dos orvalhos, mas não protegeu do frio e fortes ventanias que aqui se fizeram sentir (nesta região e onde eu habito já é quase "coisa normal" todos os anos...).

O mais curioso, é que tenho 5 tomateiros fora da fileira "protegida" do plástico, e que desde que os transplantei para a horta não tiveram nenhuma protecção (excepto a calda bordalesa), estão super saudáveis e vigorosos.
Ou seja, estes últimos que passaram todos os tormentos...dos caprichos meteorológicos, suportaram tudo e ainda se tornaram mais fortes que os "mimados".
Vejo aqui uma força de carácter (nestes tomateiros)... a dar-me lições de moral...

Abraço,
António

Sansoni7 disse...

Olá

Por esta altura também tive tomateiros com este aspecto...algo encorrilhado. Pensei que fosse ataque fungíco e apliquei Ridomil. Entretanto falei com o Rui Esteves que me aconselhou a parar com os quimicos e que tudo isto deveria ser consequência das temperaturas anormalmente baixas para a época. Disse-me que esperasse o final do mês ( prevía-se umas semanas de tempo quente...que aliás se mantém)e que o mais provável é que a situação revertesse.
Pois bem ou do Ridomil ou do calor, o que é facto é que os tomateiros com folhas «encurrilhadas» já têm novas folhas....perfeitamente normais.

Cumprs, e boas culturas

Augusto