sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Pepino Satsuki Madori

Pepinos originários da Ásia. É uma espécie trepadora, ou seja, crescem como as ervilhas (é necessário colocar estacas – ou pequenos ramos -, logo que tenham o tamanho de meio palmo, caso contrário eles partem e morrem). Colhem-se os frutos com 30/40 cm de longo.
Muito produtivos. Em 4 pés tirei oitenta e tal pepinos (e tenho a certeza que me esqueci de contar alguns…), e continuava a dar mais se o oídio não os tivesse destruído! Par dar um exemplo da sua produtividade: Em 2008 plantei 7 pés de pepinos normais (os rasteiros) e obtive 70 pepinos no total da temporada…
Há dúvidas nas contas?...
 

 São deliciosos e jamais, jamais, jamais amargos (repeti o jamais porque é a pura verdade. Pessoas a quem eu dei destes pepinos, confessaram que não eram apreciadoras deste fruto, depois de o provar passaram a ser “adeptas”… de o degustar)!
A polpa é tenra e com pouquíssimas sementes. Come-se tudo com prazer!
Nota 5

2 comentários:

João Gomes disse...

Viva António.
Fiquei curioso relativamente aos seus comentários sobre este pepino, tenho de arranjar sementes.
Recomendo também uma variedade que me arranjaram, da Rússia, traduzido para Português é "pepino abundância", um pepineiro rasteiro, com frutos finos e compridos, de sabor suave e que não se sente na digestão.
Cumprimentos

João

Paixão da Horta disse...

Viva João,

Infelizmente esta é mais uma espécie que eu "deitei ao abandono"...
Não cultivei o Satsuki Madori em 2011, e este ano semeei todas as sementes que me restavam de 2010, e que eram à volta de uma dezena. Ora, o problema da turfa que já mencionei no blog, queimou quase tudo o que germinou e só salvei dois pés. Mas um desse pés decidi-me a "sacrificá-lo" ao enxertá-lo numa chila, só que correu mal...
Neste momento na horta só tenho um pé desta espécie, e com este tempo marado (como diz o Rui) a planta ainda só está com 60cm, e sem frutos.
Agora é assim: eu não faço fé nenhuma na polinização de só um pé, pois como eu já expliquei noutro post do blog, para se colher sementes "aceitáveis" entre os géneros de cucurbitáceas, "exige-se" um mínimo de duas plantas da mesma espécie, para se poderem polinizar entre elas.
Não quer dizer que este pé não irá dar pepinos, só que as sementes que esses pepinos derem não são dá minha confiança...
Mas as "coisas" podem se compor doutra forma (lá para Outubro explico em pormenor).
Saudações,
António